O Greenpeace repudia a violência contra os povos indígenas e se solidariza com o povo Guajajara diante de mais um ataque que resultou em dois mortos e dois feridos


Em um novo episódio de violência contra povos indígenas neste sábado, Firmino Guajajara e Raimundo Guajajara, duas lideranças do povo Guajajara, foram assassinados às margens da BR-226, no município de Jenipapo dos Vieiras, próximo à aldeia El Betel na Terra Indígena Cana Brava. Outros dois indígenas ficaram feridos.

Este é o segundo ataque a tiros contra indígenas Guajajara em menos de dois meses. No dia 1º de novembro, o guardião da floresta Paulo Paulino Guajajara, de apenas 26 anos, foi assassinado em uma emboscada de madeireiros dentro da Terra Indígena Araribóia. Firmino e Raimundo são as mais recentes vítimas de um Estado que falha em proteger os direitos indígenas. 

O governo federal banaliza a violência e incita o ódio contra as minorias, com efeito devastador na vida dos povos da floresta. A disparada dos casos de violência e assassinatos contra os povos indígenas são frutos de uma retórica integracionista que alimenta o preconceito e a intolerância contra essas povos. 

A incapacidade do Estado em identificar, processar e  julgar os criminosos, alimenta a impunidade e contribui para a perpetuação do ciclo de violência que domina a Amazônia. É inaceitável que esse estado de barbárie que hoje assola o país seja normalizado.